Akissel Donner

2016

AKISSEL DONNER PRESENTS: ULTRA BRASIL 2016

Leave a Comment
"AKISSEL DONNER PRESENTS: ULTRA BRASIL 2016" foi um episódio especial de destaque parte da continuidade da turnê "Go Akissel Or Go Home Tour". Foi apresentado nos dias 14 e 15 de Outubro de 2016, sendo considerado até então o terceiro mais importante momento da turnê (sendo subsequente á aprovação de Akissel na Universide Federal Fluminense, e ao Tomorrowland Brasil 2015). Em razão de sua vinda ao Brasil para este festival, Akissel pode conhecer pessoalmente Martin Garrix, considerado o maior deejay do mundo em 2016. O festival de música eletrônica "Ultra Music Festival" surgiu em 1999 em Miami, nos Estados Unidos, e deste então se desenvolveu para um evento global com edições nos cinco continentes. No Brasil o festival havia acontecido anteriormente em São Paulo e em Belo Horizonte, sendo que para 2016, depois de um hiatos de cinco anos no país, foi anunciada pela primeira vez uma edição no Rio de Janeiro.

ANTECEDENTES

O interesse de Akissel pela música eletrônica e suas festas relacionadas começou durante sua pré adolescência e vem crescendo bastante nos últimos anos. Em 2015, o mesmo decidiu de que seu aniversário de 20 anos seria comemorado na edição brasileira do mundialmente conhecido Tomorrowland. Apesar de tudo ter corrido bem em 2015, incluindo o fato de que Akissel conheceu pessoalmente Dimitri Vegas, não se foi possível atender a edição seguinte em 2016. Acreditou-se que haveriam então outras oportunidades e outros festivais aos quais Akissel pudesse ir futuramente.

O Ultra Music Festival sempre esteve na lista dos mais apreciados por Akissel. Este é um dos mais famosos e antigos eventos, o festival existe desde quando Akissel tinha quatro anos,  bem como esteve em evidencia desde 2007, ano em que Akissel começou a se interessar pelo genero. Além disso, o festival já foi palco de importantes performances, como a despedida do trio Swedish House Mafia em 2013. Também em 2013, o deejay favorito do Akissel e um dos principais performistas do festival, Avicii, lançou o clipe "Wake Me Up", clipe que exibia imagens de uma personagem que abandonou sua cidade interiorana em busca de encontrar um lugar ao qual pertencia de verdade, tendo inclusive feito alguns amigos com quem foi no Ultra. (Nota do editor: qualquer semelhança não é mera coincidência)


Durante o ano de 2015 uma expectativa corrente começou a crescer envolvendo uma possível edição do festival no Brasil, sendo que o mesmo chegou a ser anunciado para 2015, mas ao final do ano apenas a expectativa ficou mantida. A organização mundial do festival começou a conduzir um enredo de que o festival aconteceria definitivamente em 2016, criando a partir de um comercial uma especulação sobre qual cidade sediaria o festival. 

Nao demorou muito para que se decidisse que o Rio de Janeiro seria a sede da edição de 2016 do chamado "Ultra Brasil". O anuncio foi feito através de um video, divulgado em fevereiro, mes que Akissel ainda passava por uma crise economia com um futuro indefinido. Sonhava-se também com a possibilidade de uma apresentação do já mencionado Avicii, em sua turnê de despedida; O festival aconteceria no Rio em Outubro e já tinha como headliners Carl Cox e o proeminente Martin Garrix.

Quando Akissel começou a trabalhar para a Rio 2016 em abril, ficou decidido que á partir dali obrigatoriamente o mesmo deveria ir ao festival, haveria tempo suficiente para acumular recursos e fazer um planejamento econômico efetivo. 

O anuncio de mais headliners foi feito ao longo de tempo, bem como também a definição de que o festival seria em dois dias, sendo o primeiro dia 14 de outubro. Coincidentemente este era o ultimo dia de contrato entre Akissel e a Rio de 2016. Por longos meses especulou-se que Akissel terminaria a Season 2 da Universidade, trancaria sua matricula, participaria dos Jogos Olímpicos Rio 2016, e terminaria com o Ultra Music Festival sendo como uma despedida dessa fase da sua turnê que terminaria ou daria uma pausa por conta dos conflitos e crises econômicas relacionadas ao fim do contrato de trabalho com a Rio 2016. Com o salario referente aos trabalhos no mês de agosto Akissel comprou o ingresso para o primeiro dia do festival, e mantinha um plano de ir apenas um dia, pois precisava reservar dinheiro em razão do fim do contrato de trabalho já anunciado. 

Além de Martin Garrix e Carl Cox, foram anunciados novos headliners: Hardwell, Dash Berlin, Sunnery James and Ryan Marciano e FTampa, bem como alguns outros. Martin Garrix se apresentaria no primeiro dia, dia para o qual Akissel tinha o ingresso no entanto, um de seus favoritos - o Hardwell, tocaria apanas no segundo dia, o que gerou um interessante crescente.  O festival também passou por dificuldades junto as autoridades locais, que insistiram que a organização estava proibida de realizar a festa nas venues pretendidas, primeiro o aterro do Flamengo e depois a Quinta da Boa Vista. A definição final foi de que o evento seria realizado no Sambodromo.

Uma semana antes do festival, Akissel foi comunicado por seu gestor de que ele seria transferido de unidade, bem como também, recebeu uma sinalização de um possível estendimento do contrato para mais alguns meses. A semana que antecedeu o Ultra foi de muita expectativa e a reunião para definição das coisas no trabalho foi programada apenas para sexta feira, dia 14, o próprio dia do festival, só que de manhã.

FIRST MET: MARTIN GARRIX

Durante a quinta feira a noite Martin Garrix chegou ao Brasil. No mesmo dia, com a maior expectativa em um ano, Akissel se preparava para o que ele considerava "um aquecimento para o Ultra", o brasileiramente conhecido "esquenta". No plano inicial o mesmo iria, depois de um mês, reencontrar com seus colegas de faculdade da cantareira, beber algumas cervejas e ouvir algumas músicas relacionadas ao evento. No entanto este encontro acabou consideravelmente cedo, o que gerou um conflito de continuidade. Akissel optou por seguir a noite de expectativa e saiu direto da universidade para um evento na praia da Ipanema onde estavam reunidos vários "Ultranautas", de lá partiu para um lugar mais reservado onde alguns fans aguardavam para conhecer Martin Garrix - Akissel resolveu se juntar á eles.

A expectativa em torno da chegada de um dos mais proeminentes nomes da música eletronica estava alta, e tudo ficou ainda melhor quando o segurança pessoal, Peter, resolveu trocar uma ideia com público que ali aguardava. Ele chegou a mandar fotos pro Martin Garrix avisando "venha logo, eles estão esperando".

Pouco tempo depois o deejay chegou. Muito simpatico de agradavel, ele deu abraços em cada um dos que ali esperavam. Akissel aguardou alguns fans irem na frente e depois se pronunciou "/can I go now?//eu posso ir agora?com uma voz doce e ansiosa. A resposta veio do próprio Garrix: "sure!" /É claro!/. Se abraçaram! A expectativa era tanta que Akissel até se esqueceu seu celular estava sem bateria, e então quando Martin Garrix perguntou "/what camera?//qual camera?nem mesmo Akissel soube responder. Com uma sorte consideravel, uma das fans tirou a foto e mandou para Akissel. Na foto o deejay segurou a caneca da AASI, que é a Associação Atletica de Sistemas de Informação, uma entidade oficial da Universidade de Akissel com quem ele estava antes de se deslocar para Ipanema.


Ao final da foto, Akissel agradeceu, disse que admirava muito o trabalho de Martin Garrix, e que ele estava se tornando muito grande. Martin Garrix sorriu, também agradeceu, e deram um aperto de mão. Muitas outras pessoas tiraram mais fotos, e depois Garrix foi para seu hotel. Na volta pra casa Akissel estava explodindo de alegria. Já eram quatro manhã. Dali a pouco, as seis, Akissel teria uma reunião que decidiria sua vida no trabalho. Foi direto, sem dormir, e ficou por lá resolvendo suas pendencias até por volta do meio dia. Deu tudo certo, e o contrato seria realmente estendido para mais um tempo.

ULTRA BRASIL DIA 1 - 14/10/2016

Depois de uma noite inteira acordado por causa de Martin Garrix, e uma manhã de uma reunião decisiva no trabalho, Akissel partiria finalmente para o Ultra Brasil. No instagram o mesmo postou uma foto da linha vermelha no Rio de Janeiro alegando que todo mundo estaria indo pro Ultra também, pois a mesma estava engarrafada, e o tempo de deslocamento chegou á uma hora e meia.  Depois de chegar em casa, almoçar e se arrumar, Akissel ainda foi ao Campo de Santana encontrar o seu amigo que também estaria indo ao festival.

Na ida ao festival, um momento cômico e mencionavam. Como a organização não conseguiu autorização da prefeitura para fechar a Rua Frei Caneca, uma das transversais ao Sambódromo, a organização utilizou de barreiras humanas: seguranças que se abraçavam para fechar completamente os acessos em cada lado da passagem, e cordinhas, que periodicamente levantavam para segurar o fluxo dos carros, momento então em que os seguranças abriam as barreiras e permitiam travessia de pedestres.

Já era tarde quando Akissel e seu amigo chegaram ao festival, e havia recem começado a apresentação do FTampa. FTampa é o mais importante deejay brasileiro e sua apresentação seguiu o bom desempenho que ja havia sido visto na primeira edição do Tomorrowland Brasil.


Como Akissel estava com seu amigo, precisou acompanha-lo para outros palcos onde tocavam deejays de um trabalho com maior conceituação e estilo mais singular, entre eles Heatbeat e Markus Schulz, ambos do palco UMF Radio. A apresentação de Heatbeat teve um bom desempenho e foi considerada bastante agradavel, já Markus Schulz pegou um som mais pesado, o que se tornou desfavorável.

Também tocou no palco UMF Radio o duo "Cosmic Gate", uma das mais memoráveis lembranças do Tomorrowland Brasil. A apresentação deles também seguiu em um tom menos agressivo.

De volta ao palco principal, encontramos Carnage. Um nome pouco mencionado durante o periodo de antecipação do festival, mas que apresentou um show bastante interessante e atraente. Ao final de seu set ele tocou sua versão de "Waiting For Love" do Avicii que foi a track certa para impulsionar a noite que só estava começando.

Quebrando o clima descontraído e empolgante do palco principal, quem se apresentou em seguida foi o grupo "Above and Beyond", com um som muito diferente do que tipicamente foi apresentado ali. Com vibrações mais intensas e tracks com uma mensagem mais profunda, o set inteiro do grupo foi levado num estilo bem calmo. Ao final, um dos integrantes buscou na plateia uma fan e levou ao palco para que a mesma mostrasse sua mensagem positiva para todo o festival.

Terminada a vibe sentimental do festival, DJ Snake assumiu para um set muito mais agitado. Existem comentários na internet que mencionam que o DJ chegou a ficar nervoso com a resposta confusa do publico brasileiro ao seu set. Mas não se pode dizer que a apresentação dele foi ruim. Considera-se que foi dividida em duas partes, sendo que a primeira se pareceu muito ao praticado por Steve Aoki. A partir do momento em que Snake tocou a música dele com Aluna George, You Know You Like It, o tom da apresentação ficou mais atraente, o publico correspondeu melhor, e o set terminou favorável.

Para terminar a noite, também no palco principal, apresentou-se Martin Garrix. Considerada a melhor apresentação da noite, teve duração de uma hora e meia, e contou com a estreia de várias faixas as quais o deejay havia lançado durante a semana dentro de um projeto nomeado SEVEN. O momento de maior entusiamo foi quando o mesmo apresentou seus já consagrados hits "In The Name Of Love" e "Lions in the wild", o público também reagiu muito bem á apresentação de "Oops!", uma faixa baseada no conceito oito bits lançada em junho para a E3. Ao final da apresentação Akissel conheceu alguns conterrâneos que haviam vindo ao Rio para o Ultra Brasil. Somente durante a apresentação de Garrix o evento utilizou de fogos de artificio no primeiro dia, inclusive no encerramento que foi definido como sensacional. Na semana seguinte Martin Garrix foi nomeado o melhor deejay de 2016 pela revista DJMAG, a principal referencia do segmento.

ULTRA BRASIL DIA 2 - 15/10/2016

Com a decisão do estendimento do contrato entre Akissel e seu empregador, foi possível então comprar ingressos para o segundo dia sem causar impactos econômicos no orçamento. O segundo dia foi planejado como um dia mais tranquilo para Akissel, mas não para o público. Com ingressos esgotados uma semana antes do evento e um recorde de público, o segundo dia ficou cotado como o mais marcante do festival. Akissel planejou chegar ao festival as 17horas, depois de encontrar com alguns amigos na estação de metrô Praça Onze.

Devido a grande quantidade de público nesse dia, estava mais dificil transitar entre os palcos, portanto, considerou-se o palco principal como ponto de estadia durante todo o dia. As primeiras apresentações vistas foram de Tropkillaz e Vintage Culture, brasileiros, com apresentações que foram consideradas mais fracas se comparada ao que costumam apresentar.

Durante uma das apresentações, Akissel comentou com seus amigos que precisava descansar um pouco, deixando-os no palco principal e indo para uma area menos agitada próximo ao backstage do evento. Lá ele se sentou na companhia de outras pessoas que também estavam relaxado, e, em instantes, caiu no sono. Isso se deve ao fato de ter virado as duas noites anteriores acordado e com uma rotina agitada. Ao acordar, após conversar com uma moça que sentou do seu lado, e encontrar também um colega do mesmo curso da faculdade, Akissel seguiu de volta o caminho rumo aos seus amigos no palco principal, onde estava começando a apresentação de Sunnery James and Ryan Marciano, que já haviam sido vistos nessa turnê especial de fim de ano de 2015 "Pre reveillon Skol" e no carnaval de 2016 "Rio Music Carnival", e que seguiram apresentando um set de qualidade incontestável.

Quem também se apresentou nesse dia foi um membro da "família Ultra": Dash Berlin. Antes de sua apresentação o Ultra apresentou sua vinheta institucional que chamou bastante a atenção do público. A apresentação foi transmitida ao vivo pela MTV e pelo site oficial do evento. Uma das amigas de Akissel apareceu nas imagens durante a transmissão.


No final da noite, Hardwell encerrou o evento. Ainda que com um set considerado mais fraco ao que havia sido visto no Tomorrowland Brasil 2015 e no especial de carnaval "Rio Music Carnival" deste ano, o deejay impressionou o encerrou o evento com bom desempenho. Ele manteve todos dos drops comuns de suas apresentações fazendo o publico ir ao delírio. O deejay se apresentou muito contente por seu retorno ao país, sendo que esta foi sua quinta apresentação em terras brasileiras em dois anos. Ao final de sua apresentação, ele reservou espaço espaço para tocar o hit "Michael Douglas", produção de João Brasil que tem sido bastante tocada em festas universitárias.


CONTINUIDADE

A edição do Ultra Brasil 2016 foi considerada um sucesso, tendo quebrado recordes e agradando bastante o público e os investidores do evento. Existe atualmente uma especulação de uma edição em 2017. Até então a única informação é de que deverá durar três dias.

0 comentários:

Postar um comentário